3 tendências da gestão de armazéns para 2021

Confira as estratégias que as empresas têm adotado para aumentar a eficiência e vencer os desafios da gestão intralogística

 

gestão de armazéns

A variedade de SKUs, atrelada à multiplicidade de canais e diversidade de fornecedores têm tornado a gestão de armazéns cada vez mais complexa. Para manter um alto grau de organização, acuracidade e previsibilidade, é preciso aplicar as melhores práticas e contar com o auxílio de tecnologias. Em 2021, isso se tornará ainda mais forte, com a necessidade de digitalização da operação para vencer os desafios e cenários imprevistos, como aconteceu no ano passado.

 

Com a pandemia e suas consequências no mercado, as empresas perceberam que é fundamental ter uma excelência na gestão do estoque.  Além disso, muitas vêm buscando reduzir os seus custos, o que só é possível com uma administração eficiente do armazém e a aplicação de algumas ações sustentáveis.

 

Neste ano de 2021, três pontos relacionados a esse cenário virão com toda força na gestão de armazéns. São eles:

 

1 – Automação da gestão

 

Os custos de manutenção de um armazém são altos, por isso, não dá pra ter ineficiências na utilização do espaço, organização do estoque ou execução de tarefas. Manter uma operação otimizada é a chave para reduzir as despesas. Nesse sentido, um número cada vez maior de empresas têm automatizado seus armazéns com o  sistema WMS.

 

A utilização de um WMS faz com que a empresa aproveite bem todos os seus recursos (mão de obra, equipamentos e área). Com a inteligência do software, o fluxo de mercadorias na entrada e saída é otimizado. O sistema cuida também do endereçamento de cada produto e do giro do estoque. Além disso, o WMS rastreia todos os processos e oferece informações em tempo real (Gestão à Vista). Desse modo, os gestores têm sempre em mãos dados valiosos para tomar decisões assertivas.

 

O WMS coloca os armazéns na Logística do Futuro ao eliminar papéis, acabar com as tarefas manuais repetitivas e eliminar erros humanos. E a eficiência alcançada acaba refletindo na própria satisfação do consumidor, na medida em que as entregas são feitas de forma ágil e precisa.

 

2 – Uso de dispositivos robóticos

 

O uso de dispositivos robóticos vêm crescendo muito na cadeia de suprimentos em todo o mundo. De acordo com a Tractica Research, as vendas mundiais de robôs para a logística devem chegar a US $ 22,4 bilhões em 2021. Dentre esses dispositivos robóticos para o Supply Chain estão os robôs móveis autônomos (AMR), drones, veículos guiados automaticamente (AGVs) e sistemas automatizados do armazenamento e de recuperação (AS/RS).

 

Até o ano passado, a gigante Amazon já tinha 26 de seus centros de distribuição em todo o mundo usando robótica. Do mesmo modo, muitas empresas já têm adotado essa inovação para acelerar o processamento de pedidos e reduzir custos. Recentemente, o Alibaba investiu US $ 15 bilhões em infraestrutura de logística robótica e o Google investiu US $ 500 milhões em logística automatizada para a JD.

 

E a tendência é que mais e mais companhias passem a adotar os robôs em sua operação para aumentar a eficiência, reduzir custos e, principalmente, oferecer um serviço qualificado aos seus clientes.

 

 

3 –  Foco na sustentabilidade

 

A sustentabilidade na logística é um assunto que já vem sendo amplamente discutido nos últimos anos e que continua como tendência forte para 2021. Além de trazer benefícios para nós e para o meio ambiente, é uma prática que reduz custos, promove a imagem da marca e aumenta a fidelidade do cliente, já que os consumidores aprovam empresas que priorizam a responsabilidade ambiental.

 

A adoção de práticas sustentáveis, como a eliminação de papel, o uso de energia limpa e renovável, a adoção de equipamentos com eficiência energética, a otimização das embalagens, a reciclagem e reuso, incluindo também a conscientização dos funcionários, só agrega para a empresa. Adotar a logística verde faz com que a empresa aproveite melhor os seus recursos e se torne mais econômica, por isso, é crescente o número de corporações vem adotando essa postura sustentável na gestão de seus armazéns.

 

 

O armazém do futuro

 

Os três tópicos citados nos remetem a um futuro que já chegou. Com todas as transformações ocorridas no ano passado, houve uma aceleração da digitalização dos armazéns. E isso vem transformando a relação com o consumidor. Ao investirem cada vez mais em tecnologia, os líderes de mercado estão conseguindo oferecer um serviço inigualável aos seus clientes, o que pressiona as demais empresas a seguirem na mesma linha.

 

O mercado global continua em expansão. E certamente sairão à frente as empresas que já entenderam que a logística é o cerne do negócio. Quem tem priorizado uma gestão de armazéns eficiente, adotando boas práticas e contando com o suporte de tecnologias, já acumula resultados positivos. Por isso, lembramos: a hora de mudar o seu armazém é agora!

 

> Confira 10 dicas para aprimorar a gestão logística.

 



Deixe uma resposta