7 qualidades de um bom WMS

bom-wmsNo último texto que publicamos aqui no Blog, mostramos o quanto o sistema WMS pode trazer vantagem competitiva ao seu negócio. Destacamos, ainda, que, para maximizar os resultados, é preciso acertar na escolha do fornecedor do software. Para isso, você precisa avaliar não apenas a reputação da empresa, mas – e principalmente – as especificações do sistema.

 

Um bom WMS precisa lhe poupar tempo e dinheiro e garantir a satisfação do seu cliente. E ainda mais: o sistema deve acompanhar o crescimento do seu negócio.

 

Mas, afinal, como garantir que esses objetivos sejam alcançados? Avaliando bem as características do sistema. Nesse texto, selecionamos 7 qualidades principais de um bom WMS. Ao analisar cada uma delas você poderá definir critérios para a escolha da solução ideal para a sua empresa, caso ainda não possua um WMS, ou mesmo averiguar se WMS que você utiliza está te atendendo bem.

 

 

 

O que um bom WMS precisa ter?

 

Confira, a seguir, 7 características fundamentais de um bom WMS:

 

 

1) Flexibilidade e máximo potencial

 

A primeira coisa que você precisa avaliar no sistema WMS é o que ele pode fazer pelo seu negócio. Questione-se: “esta solução simplificará os meus processos e a minha gestão? Todas as minhas necessidades atuais serão atendidas?”. Esse é um ponto-chave.

 

Por exemplo, se a sua empresa precisa atender normas de órgãos de inspeção, o WMS deve ser capaz de auxiliá-lo no cumprimento de todas as exigências. Ou, ainda, se você pretende implantar um novo formato intralogístico, como dark store ou micro-fulfillment center, um bom WMS precisa te oferecer funcionalidades específicas para esse tipo de operação.

 

Basicamente, o que você deve avaliar é se o software é flexível e versátil para a atender todas as necessidades da sua empresa em particular.

 

 

2) Fácil de usar

 

Não adianta você ter uma ferramenta que vai te permitir fazer mais com menos se a sua equipe tem dificuldade de utilizá-la. É por isso que um WMS de qualidade deve ser de fácil utilização. Uma navegação clara garante que todos os funcionários serão capazes de aproveitar ao máximo as funcionalidades oferecidas pelo sistema. Além disso, a facilidade no uso te ajuda a treinar rapidamente os novos colaboradores, desde os operadores até a administração.

 

Ao escolher um WMS para a sua empresa, avalie se ele oferece um menu intuitivo, como é feita a entrada de dados, como as informações são acessadas, se uma funcionalidade pode ser acionada rapidamente, como os gráficos e KPIs são apresentados, dentre outros detalhes.

 

Em suma, você deve questionar: “o sistema parece fácil de usar?”

 

 

3) Gerenciamento de ponta-a-ponta

 

Um bom WMS permite que você gerencie a sua operação de ponta-a-ponta, desde o recebimento até a expedição. Você precisa ter uma visão completa do seu armazém para que possa identificar possíveis gargalos e tomar decisões precisas sobre qual área deve ser otimizada. Isso significa que o sistema deve rastrear tudo, desde as informações dos produtos e suas quantidades, seus endereços e movimentações, até o desempenho dos funcionários e as transações realizadas.

 

É importante avaliar como o sistema está presente em cada processo (como recebimento, armazenagem, picking, reabastecimento, expedição e inventário) e como ele auxilia na sua gestão. Quanto mais controle você tiver sobre o seu estoque e seus recursos, mais apto você estará para desenvolver estratégias que farão o seu negócio crescer.

 

E por falar em crescimento, vamos à próxima qualidade que um bom WMS deve ter.

 

 

4) Escalabilidade

 

Qual é o seu objetivo principal ao investir em uma tecnologia como WMS? Fazer o seu negócio prosperar, certo? É aí que entra mais uma qualidade importante a ser avaliada no software: se ele é escalável, ou seja, se ele é capaz de crescer com a sua empresa e está pronto para atender aos requisitos futuros.

 

O primeiro ponto que você deve analisar, nesse caso, é se o sistema integra com qualquer ERP. Pode ser que ele se integre com o ERP que sua empresa utiliza hoje, mas e se lá na frente vocês resolverem trocar? Será que terão problemas na integração com o WMS? É por isso que optar por um sistema que é facilmente integrável a qualquer ERP torna-se um requisito para que o seu negócio cresça sem dificuldades.

 

Verifique também se o WMS se integra a outros sistemas, como TMS e OMS, e aos softwares de venda e marketplaces. Avalie, ainda, a comunicação com hardwares, como coletores RF, impressoras de etiquetas, scanners, etc.

 

Além disso, é fundamental verificar se o WMS escolhido faz  integração com as automações logísticas, como shuttles, pick-to-light, voice picking, A-Frame, sorters, dentre outras, afinal, é muito provável que, se ainda não utiliza, você venha a usá-las no futuro.

 

 

 

5) Métricas úteis e fáceis de ler

 

Esse é um requisito fundamental que precisa ser atendido e que fará toda a diferença na sua rotina de trabalho. Você precisa ter informações diversas sobre a sua operação e o mais importante: ser capaz de entendê-las.

 

Um bom WMS deve permitir que você crie facilmente relatórios e gráficos que oferecem um diagnóstico exato do seu armazém. Outro diferencial é que o sistema ofereça dashboards que possam ser compartilhados em telas distribuídas pelo seu depósito para que os funcionários sejam capazes de acompanhar o desempenho dos processos, evitando atrasos e erros. Todos devem conseguir “ler” as métricas com facilidade e, assim, buscar aperfeiçoamento constante.

 

 

6) Resultados concretos + ROI

 

O WMS que você está considerando para a sua operação já trouxe resultados concretos para outras empresas? Os ganhos são significativos? Qual o ROI oferecido pelo sistema?

 

Essas são questões importantes que você deve responder. Ao avaliar os casos de sucesso do fornecedor, você terá uma boa noção dos ganhos alcançados e do ROI, mas é valido também entrar em contato com um dos clientes desse fornecedor e saber se as expectativas foram atendidas, como foi o projeto de implantação e sua execução e, ainda, como é o suporte oferecido. A sustentação pós-implantação é um dos pontos cruciais para que você obtenha os melhores resultados ao implantar o WMS em seu armazém.

 

 

7) Atualizações e antecipação de tendências

 

Por fim, uma qualidade valiosa de um bom WMS é a sua frequência de atualização. As tecnologias evoluem muito rapidamente e, por isso, o seu software precisa contar com pacotes de atualizações que aumentem a segurança e otimizem as funcionalidades. Além disso, é importante que o fornecedor tenha um olhar voltado ao futuro, ou seja, que antecipe tendências e esteja sempre oferecendo soluções inteligentes para as suas demandas.

 

É muito provável que o seu negócio evolua ao longo dos anos e o WMS precisa estar à frente dessas mudanças, dando todo o suporte para que processos mais complexos sejam executados com facilidade. E isso só se consegue com inovação! Portanto, não deixe de questionar: “o fornecedor do software demonstra que acompanha as evoluções do mercado?”

 

O WMS certo para a sua empresa

 

Depois de conhecer todas as 7 qualidades de um bom WMS, você deve ter percebido o quanto é importante fazer perguntas ao fornecedor para entender a fundo o sistema, avaliando as funcionalidades oferecidas, sua flexibilidade, escalabilidade, integrações, facilidade de uso, suporte ao cliente e inovação. Muitas vezes, você pode se apegar à “marca” do software, mas o mais importante é analisar a fundo o que ele pode fazer pela sua empresa e como ele dará suporte ao seu crescimento. Com a escolha certa, seu negócio certamente será bem-sucedido e terá tudo para alcançar a liderança no mercado!

 

> Baixe o checklist para a escolha do melhor WMS para a sua empresa.

 



Deixe uma resposta