Como funciona o pick-to light?

Conheça o sistema que gera mais eficiência e precisão na separação de pedidos

 

A evolução na cadeia de suprimentos não para. Cada vez mais surgem novas soluções e ferramentas que visam aumentar a eficiência, a produtividade e a precisão nos processos, de modo que as empresas ofereçam a melhor experiência de compra aos seus clientes e reduzam seus custos. Uma delas é o pick-to light (PTL ou pick-by-light), projetado para otimizar a separação dos pedidos e eliminar erros.
 
 

O que é o pick-to-light?

 

O pick-to-light é um sistema simples, porém robusto, em que cada compartimento de armazenagem possui uma luz indicadora e um display, além de uma tecla de confirmação. Durante todo o processo de separação, o operador é guiado pelas luzes e, com isso, dispensa-se o uso de listas de picking em papel.

 

Para que a separação seja conduzida pelo pick-to-light, ele precisa ser integrado ao sistema WMS. É esse software que acende o visor e que indica a quantidade de itens a ser separada de acordo com cada pedido. (veja o case do FC Onofre Mooca). Vale destacar que é fundamental avaliar a cartonagem, ou seja, o cálculo da cubagem do pedido e seu devido desmembramento em vários volumes: papel determinante do WMS para quem quer usar PTL.
 
 

Como o pick-to-light funciona na prática?

 

pick-to-light
Pick-to-light (fonte: Wikimedia Commons)

No momento da separação, o operador se move ao longo das prateleiras (geralmente, do tipo flow rack) e os produtos a serem separados na caixa são indicados pela luz que se acende no local exato onde se encontram. O display indica também a quantidade de cada item a ser separada. Assim, quando a luz acende, o operador retira a mercadoria e aperta o botão de confirmação, indicando que já retirou o produto e o colocou na caixa de separação.

 

Por exemplo: em um pedido há a demanda por 2 frascos de shampoo e 3 sabonetes. Ao processar o pedido, o sistema WMS envia um comando ao pick-to-light. O operador, que está diante do flow rack, bipa o código da caixa de separação. Então, a luz do compartimento onde estão os shampoos se acende e o display indica 2. Ele pega os dois fracos e clica no botão de confirmar. Depois, a luz da posição onde estão os sabonetes se acende e o display mostra o número 3. O funcionário pega três unidades do item e clica no botão de confirmação. Pronto! O pedido foi separado e já pode ser encaminhado à expedição!
 
Na solução oferecida pela nossa parceira KNAPP® há a opção de o operador digitalizar o código de barras do produto para confirmar a separação. Essa funcionalidade será muito útil para a leitura do código de barras datamatrix com o número de série, exigência da Lei de Rastreabilidade de Medicamentos. Além disso, com a integração com o WMS, assim que os itens são separados e é feita a confirmação, o software automaticamente faz a correção do inventário de estoque, garantindo maior controle e acuracidade.
 
 


Instalação

 

A instalação do hardware pick-to-light é muito fácil e tem muitas vantagens. Basicamente, compõe-se das seguintes estruturas:

 

• Computador de controle com interface para o sistema superior
• Controlador de linha (* a quantidade depende do tamanho da instalação)
• Um pick face (display com lâmpada de sinalização) por local de armazenamento

 

Quase todos os sistemas PTL estão equipados com teclas adicionais (tecla Mais, Menos e F para funções especiais) que ajudam a corrigir erros.
 
 

Operações em que o pick-to-light é indicado

 

O pick-to-light é frequentemente aplicado ao picking por zona (zone picking), onde cada selecionador trabalha em uma zona designada para reduzir os deslocamentos. Depois que uma parte do pedido é concluída em uma zona, a caixa de separação vai para a zona seguinte, onde são separados mais itens e assim por diante, até completar o pedido. Essa abordagem de estilo de linha de montagem, baseada no trabalho em equipe, mantém todos os separadores na linha de picking. (veja o case do FC Onofre Mooca).

 

Devido a essas particularidades, o pick-to-light acaba sendo indicado para operações que separam fracionados, como é o caso do e-commerce. Também pode ser interessante para indústrias, no processo de separação de matérias-primas. Em geral, o PTL funciona melhor quando aplicado a operações em que um número relativamente pequeno de SKUs (aproximadamente 20%) representa uma alta porcentagem do volume diário de pedidos (aproximadamente 80%).

 

Dentre os setores/segmentos em que o pick-to-light funciona bem estão:

 

• Varejo
• Venda direta
• E-commerce e catálogo
• Farmacêutico
• Produtos médicos
• Automotivo
• Saúde e Beleza, Cosméticos
• Distribuição de Bebidas
• Mercearias e loja de conveniência
• Eletrônicos
• Fabricação

 

Para avaliar se o PTL será viável na sua operação, conte com o suporte do seu fornecedor de WMS.
 
 

Vantagens

 

Com o sistema pick-to-light, há uma redução drástica de erros, além de maior velocidade na separação. A empresa também se torna mais sustentável, dispensando o uso de listas de papel. Além dessas vantagens, podemos citar outras como:

 

Facilidade de uso – o treinamento de operadores em picking tradicional pode levar horas, dependendo do tamanho e da complexidade do seu armazém. Com um sistema pick-to-light eficiente, você pode reduzir o treinamento para 30 a 45 minutos.

 

Integração – o pick-to-light pode ser integrado ao seu sistema WMS e ERP, além outros sistemas automáticos, como RF e picking by voice, que trazem mais controle e eficiência para a sua operação.

 

Pedido perfeito – do ponto de vista do serviço ao cliente, o maior benefício do pick-to-light é a precisão e agilidade no atendimento aos pedidos.

 

Redução de custos – os métodos tradicionais de picking representam uma das maiores despesas nas operações intralogísticas (até 60% do custo total). Porém, quando você implementa sistemas que aceleram a separação e oferecem maior precisão dos pedidos, a redução de custos é certa. Lembre: quanto menores os erros, menos perdas, retrabalhos e devoluções.
 
 

Ganhos reais

 

Calcula-se que o pick-to-light é capaz de gerar aumentos de 30 a 50% na produtividade do picking e de trazer 99,9% mais precisão no atendimento de pedidos.

 

Na operação da Emefarma, que utiliza o WMS Delage® Rx integrado ao pick-to-light KNAPP® com estações inteligentes e recirculação de caixas, o aumento da capacidade de picking foi de 40%. Hoje a empresa separa mais de 140 mil unidades fracionadas por dia, com alta acuracidade de estoque e rastreabilidade total das movimentações. Para saber mais, leia o caso de sucesso.

 

E se você quer ficar por dentro de todas as novidades da Logística, baixe o nosso whitepaper Logística e Supply Chain 4.0.



Deixe uma resposta