Como funciona o sistema shuttle?

Conheça a automação que otimiza o espaço de armazenagem e traz uma velocidade impressionante ao picking

 

A cadeia de suprimentos está passando por um período de grandes transformações. Com a nova era do consumo, desencadeada pelo avanço dos canais digitais e o protagonismo de grandes players como Amazon, por exemplo, as empresas passaram a lidar com um fluxo constante de desafios. Agora, mais do que nunca, é preciso investir em novas soluções logísticas e até mesmo no redesenho dos processos para oferecer um serviço personalizado e de alto nível aos clientes. E tudo isso sem onerar a operação.

 

É nesse cenário, de alta competitividade e necessidade de melhor uso dos recursos, que empresas de tecnologia lançaram soluções capazes de gerar mais produtividade sem demandar mais espaço ou mão de obra. Dentre elas está o shuttle.

 

Mas afinal, o que é um shuttle?

 

ShuttleO shuttle é uma solução de automação que armazena e transporta produtos até os separadores. Ele é composto por blocos modulares que compreendem: racks escaláveis, transportadores (shuttles), elevadores, cerca de segurança e sistema de controle de acesso e, em alguns modelos, uma “pré-zona”.

 

Em outras palavras, podemos descrever o shuttle como um sistema com módulos de armazenagem verticais, de alta densidade, “carrinhos” que percorrem a profundidade das estantes para coletar ou depositar produtos e elevadores que deslocam os carrinhos entre os vários níveis.

 

Essa estrutura, que armazena os produtos com alta segurança e também faz a sua separação, dispensando o trabalho manual, é considerada por muitos o “coração” das modernas operações logísticas. Seu funcionamento depende da integração com o sistema de gestão de armazéns, o WMS, que é o responsável por transmitir a onda de picking ao shuttle para que ele faça a separação automática, levando o produto certo na quantidade certa e no momento certo até o operador.

 

Em quais casos o shuttle é utilizado?

 

A utilização do shuttle é recomendada tanto para operações com áreas de armazenamento densas que precisam otimizar o espaço de armazenagem quanto para pequenos armazéns que não têm espaço para instalar empilhadeiras.

 

Para obter um ROI máximo, a recomendação é que se utilize o shuttle em armazéns que estocam uma grande quantidade de um mesmo SKU. O sistema não é tão viável para operações que possuam vários SKUs por pista e vários itens armazenados por paletes.

 

Contudo, o que pode ser feito é utilizar o shuttle para os itens de baixo giro, otimizando assim o espaço de armazenagem e reduzindo a mão de obra para a separação desses itens. A Drogaria Onofre utiliza essa estratégia em seu Fulfillment Center, que conta com a OSR® Shuttle (G2P) integrada ao WMS Delage® Rx.

 

Na operação, os produtos de baixo giro ficam na automação, especialmente aqueles de maior valor, já que é garantida uma alta segurança na armazenagem. Quando eles são demandados em algum pedido, o WMS Delage® Rx envia um comando à OSR® Shuttle e é feita a separação automática dos itens, levando-os até o funcionário, que fica parado em uma mesma posição. Com isso, evitam-se deslocamentos e reduz a necessidade de ter vários operadores fazendo a separação.

 

Com a utilização da tecnologia integrada ao WMS da Delage e aliada ao pick-to-light para produtos de alto giro, a Onofre conseguiu otimizar significativamente o processamento de pedidos: gasta-se apenas 10 minutos entre o cliente passar o cartão de crédito e o pedido iniciar na linha de separação. E mais: com as inovações, a empresa conseguiu alcançar um tempo de entrega recorde: 90 minutos na capital paulista e D+1 no interior (pedidos feitos até as 18 h são entregues até as 18 h do dia seguinte). Leia o case.

 

Vantagens

 

Com o exemplo da Drogaria Onofre já é possível perceber uma série de vantagens da utilização do shuttle, dentre as quais destacamos:

  • Maior eficiência no picking
  • Melhor ocupação dos espaços
  • Redução de mão de obra e erros na separação
  • Maior segurança na armazenagem
  • Mais velocidade no atendimento de pedidos e, consequentemente, nas entregas
  • Redução de danos ao produto decorrentes do seu manuseio

 

Além disso, podemos dizer que o shuttle é um sistema de investimento escalável, pois ele se adapta aos requisitos e modelos de negócios em constante mudança. Trata-se, portanto, de um investimento que traz resultados permanentes.

 

Se você tem interesse em instalar na sua operação, o primeiro passo é conversar com o seu fornecedor de WMS para que seja orientado sobre as soluções ideais para o seu tipo de negócio. Depois, é hora de levantar as opções disponíveis no mercado, avaliando o benefício oferecido por elas e também os seus “contras”. Com a escolha definida e um bom planejamento para a implantação, você terá tudo para colher os excelentes resultados proporcionados pela automação que conecta a sua operação ao Futuro da Logística!

 

Quer saber mais sobre o shuttle e os seus ganhos? Baixe o caso de sucesso da Drogaria Onofre.



Deixe uma resposta