Conheça as tecnologias para a gestão do estoque

Descubra quais inovações ajudam na gestão do estoque e as ferramentas que beneficiam a administração ao trazer maior precisão aos processos

 

gestão do estoque

Muitos dos desafios que os armazéns enfrentam, como o stockout ou o excesso de estoque, assim como o estoque obsoleto ou a deterioração de mercadorias, são resultado de uma gestão de estoque deficiente. Essas situações significam mais custos para o negócio e podem levar, até mesmo, à perda de vendas. Para evitar que elas aconteçam, cada vez mais as empresas têm investido em tecnologias especializadas, que automatizam processos, auxiliam na gestão e controle do estoque e oferecem dados em tempo real.

 

Em um cenário de alta complexidade da cadeia de suprimentos e com a crescente exigência dos consumidores, as empresas têm buscado nas  tecnologias o caminho para transformar seu tradicionais armazéns em centros de inovação. Com mais produtividade, controle e precisão, os processos passam a acontecer de forma coordenada, beneficiando a gestão e proporcionando a redução de custos e maior satisfação do cliente.

 

Neste texto apresentamos as principais tecnologias utilizadas nos armazéns do Brasil e de todo o mundo e as vantagens que elas oferecem tanto na administração do estoque quanto na execução dos processos. Confira a seguir:

 

1 ) Sistema WMS

 

O sistema WMS é um software projetado para oferecer suporte e otimizar os processos intralogísticos, assim como o gerenciamento do estoque. O sistema facilita a execução do planejamento diário, o direcionamento e controle dos recursos, além de apoiar a equipe no desempenho de suas tarefas, desde o recebimento, passando pelo armazenamento, picking, reposição, expedição e carregamento. Sua grande vantagem é o registro de todas as informações e movimentações, oferecendo maior rastreabilidade, além de automatizar as tarefas, visando sempre aumentar a agilidade e aproveitar melhor os recursos (pessoas, equipamentos e área).

 

O WMS pode fornecer a visibilidade do estoque a qualquer momento e local, ou seja, o gestor tem, literalmente, as informações na palma da mão. Ao integrar-se ao ERP e TMS, o sistema traz ainda mais eficiência à gestão, fornecendo dados fundamentais para a tomada de decisões e para o correto atendimento às demandas.

 

O WMS também conta com inventários cíclicos, aumentando a acuracidade do estoque a níveis que podem chegar até a 99,9%. Ao implementar o software, a empresa melhora a precisão do estoque, aprimora sua capacidade de resposta, reduz os erros na execução de tarefas  e aumenta a eficiência, conseguindo entregar cada vez mais rápido.

 

Vale acrescentar que o WMS pode ser projetado ou configurado conforme os requisitos específicos da organização. Por exemplo, uma empresa de e-commerce pode usar um WMS com funções diferentes de um varejista tradicional. Além disso, o WMS também pode ser configurado de acordo com os tipos de mercadorias que são comercializadas.

 

> Saiba mais sobre o sistema WMS aqui.

 

 

2) Identificação por radiofrequência (RFID)

 

Os identificadores por radiofrequência e referem-se a uma tecnologia pela qual os dados digitais codificados em etiquetas RFID ou etiquetas inteligentes são capturados por um leitor através de ondas de rádio. Após fazer a leitura da etiqueta através e um dispositivo (o coletor), as informações são armazenadas em um banco de dados. Uma de suas vantagens em relação aos sistemas que usam software de rastreamento de código de barras é que os dados presentes na  etiqueta RFID podem ser lidos fora da linha de visão, enquanto os códigos de barras devem ser alinhados com um scanner óptico.

 

Na prática, essa tecnologia traz muita precisão na gestão dos produtos que entram e saem do armazém, uma vez que, já no recebimento, os itens passam por uma conferência com o uso do dispositivo (integrado ao WMS), o que permite o registro exato das mercadorias que estão entrando. Do mesmo modo, em todas as movimentações é feita a leitura das etiquetas e uma atualização automática é efetuada pelo WMS, que recebe os dados o tempo todo. Na expedição, os produtos passam por uma nova conferência, assegurando que o cliente receberá exatamente o que ele pediu. Além disso, com a utilização do RFID integrado ao WMS, os processos são executados com maior velocidade e sem a ocorrência de erros.

 

3) Robôs autônomos

 

O potencial de colaboração entre robôs e humanos têm impulsionado as empresas a investirem em robótica. De acordo com um levantamento realizado pelo IDC, até  2023, cerca de 65% das atividades em armazéns empregarão robôs e análises de dados para ajudar na otimização do armazenamento, aumentando a capacidade do armazém em mais de 20% e reduzindo o tempo de processamento de pedidos pela metade.

 

Com o aumento do volumes de pedido, a grande variedade de SKUs e uma alta demanda por entregas rápidas, as soluções de robótica ajudarão a responder efetivamente ao crescimento do volume e executar mais tarefas em menos tempo. Ao contar com o suporte dos robôs, as empresas podem concentrar sua mão de obra em cargos estratégicos, beneficiando muito a gestão do armazém e do negócio.
 
 

Inovação: a chave para uma gestão do estoque

 

Neste texto apresentamos três das tecnologias que mais têm sido implantadas nos armazéns na atualidade. Ainda que duas delas (RFID e robótica) não sejam diretamente voltadas à gestão, como é o caso do WMS, ambas exercem um papel fundamental no aumento da precisão dos processos, fator que impacta diretamente na administração do estoque. De fato, ao investir em inovação a empresa precisa ter uma visão holística, priorizando todas as ferramentas que fazem sentido ao seu negócio e que são capazes de promover melhorias como um todo.

 

É bom lembrar que o controle do estoque é vital para o negócio, e hoje, ter acesso a informações precisas em tempo real é um desafio que só pode ser resolvido com a tecnologia. Para quem já entendeu isso e vem priorizando as inovações na logística, os ganhos vão muito além da excelência da gestão e execução dos processos. Essas empresas criam ambientes de trabalho mais seguros, redirecionam suas equipes para executar atividades de alto valor e fornecem a todos os funcionários informações valiosas, que podem então visitadas em qualquer momento e utilizadas para tomar melhores decisões. No final, a eficiência sobressai, os desafios se reduzem e a lucratividade é aumentada.

 

> Conheça as tendências da transformação digital para 2021.

 



Deixe uma resposta