COVID-19: impactos na operação intralogística e estratégias para proteger o seu negócio

COVID-19Estamos vivendo um momento de apreensão e insegurança. Diante da pandemia da COVID -19, que já atingiu mais de 150 países e levou à morte de mais de 9 mil pessoas (fonte: BBC), empresários se veem temerosos sobre o impacto em seus negócios.

 

Neste momento, a ênfase principal é e deve estar em conter e mitigar a própria doença. Mas os impactos econômicos também são significativos, e muitas empresas estão se esforçando para entender, reagir e aprender lições.

 

Embora haja alguns sinais de que o surto na China esteja contido e de que as exportações chinesas estão começando a se mover novamente, há uma probabilidade crescente de que as coisas piorem antes de melhorarem, principalmente pelo fato de a doença ter se tornado uma pandemia. Diante desse cenário, é importante avaliar se a sua empresa está preparada para lidar com as consequências e buscar fazer os ajustes necessários para minimizar os impactos.

 

É sabido que as empresas precisam ter um plano de contingências. Em apresentação ao XXV Fórum ILOS, o Diretor de Logística do Grupo DPSP, Jonas Cézar Laurindvicius destacou que “eventos e ameaças à operação logística podem causar danos internos que resultam em perdas financeiras e queda da reputação. E mesmo que a empresa busque evita-los, há sempre a ameaça de algo acontecer e trazer impactos, daí a importância em estar preparado para lidar com qualquer situação imprevista”. Para administrar a crise ocasionada por um incêndio em um CD no Rio de Janeiro, a diretoria do Grupo aplicou rapidamente o seu plano de contingência e escolheu as pessoas certas no war room para a tomada de decisões, explicou Laurindvicius.

 

Contudo, a pandemia da COVID-19 pegou todos de surpresa. Diante disso, os planos podem não ser compatíveis com as peculiaridades da crise atual. Por isso, o mais importante é encarar a situação sem pânico, escolher as pessoas certas para ajudar na tomada de decisões e acompanhar constantemente as novas ocorrências para que mudanças sejam efetuadas nos momentos oportunos.

 

Neste texto, reunimos discussões e insights compartilhados no blog da empresa americana Red Stag Fulfillment e no site Supply Chain Digital. Nosso objetivo é compartilhar informações relevantes para te auxiliar na avaliação da sua operação, na execução dos ajustes necessários e na tomada de decisões.

 

Como a COVID-19 pode afetar a operação intralogística?

 

Rheude cita alguns possíveis impactos da pandemia da COVID-19 na intralogística:

 

Atrasos na produção

 

Fábricas que produzem componentes e produtos acabados podem enfrentar paralisações prolongadas. Mesmo que reabram, elas podem não ter uma equipe completa. Alguns trabalhadores não conseguiram voltar ao trabalho na China. Outros podem ficar presos em quarentena porque deram positivo para o vírus. Espere atrasos na produção se você trabalhar com fábricas nas áreas afetadas.

 

Lentidão na entrega

 

Mesmo que sua remessa esteja pronta, talvez não seja possível sair da doca ou do aeroporto. As viagens para dentro e para fora das regiões onde o foco está centralizado podem ser mais lentas. Isso pode ser necessário para diminuir ou impedir a propagação do vírus. A COVID-19 também afetará o movimento do transporte terrestre.

 

 

Preços mais altos para matérias-primas e produtos acabados

 

O primeiro item a ver um aumento de preço, sem surpresa, foram as máscaras cirúrgicas. No entanto, o coronavírus pode se transformar em uma pandemia que dura vários meses. Nesse caso, você pode ter escassez de materiais e produtos em seu estoque. Sua empresa terá que competir com outras pessoas por um conjunto menor de mercadorias. Isso pode causar um aumento no preço.

 

 

Paradas de trabalho

 

Muitos governos já estão pedindo às empresas que ofereçam aos funcionários mais oportunidades de trabalhar remotamente. Isso é importante para evitar a propagação da doença. No entanto, alguns trabalhos não podem ser executados remotamente. A montagem, o atendimento e a logística podem ser interrompidos se os funcionários não puderem ir aos locais de trabalho.

 

Ainda na opinião de Rheude, o único ponto positivo desse surto viral é o comércio eletrônico. “Embora o mercado de ações tenha afundado com a perspectiva de uma pandemia, algumas ações estão indo bem. São aquelas das empresas ‘stay-at-home’, que atendem as pessoas que precisam permanecer em suas casas. Os sites de compras on-line e as empresas de conferência remota estão indo bem neste momento em que as pessoas passam mais tempo em suas casas”, afirma.

 

mobile - Whitepaper

Como proteger seu negócio durante a pandemia do coronavírus

 

Veja como manter sua empresa resiliente diante da pandemia da COVID-19.

 

 

Comece a planejar agora

 

Não espere até que sua empresa tenha um problema para começar a fazer um plano de contingência para seu estoque. Se você não precisar dele agora, poderá ser útil  quando a próxima interrupção ocorrer. Além disso, não imagine que o pior não possa acontecer. Especialistas alertam que é uma questão de “quando”, e não “se”. Aproveite o tempo para fazer planos o quanto antes.

 

 

Diversifique sua cadeia de suprimentos

 

Se a sua modalidade de negócio permitir, tenha mais de um fornecedor para matérias-primas e produtos acabados. Ao fazer isso, você aumenta a probabilidade de um ou mais de seus fornecedores terem operações ininterruptas.

 

 

Se possível, tenha outros pontos de distribuição

 

Isso aumenta as chances de que suas operações de atendimento possam continuar com o mínimo de interrupção. Mesmo se um armazém de atendimento regional for forçado a fechar temporariamente, outros poderão permanecer operacionais.

 

 

Mantenha o estoque acima do nível habitual

 

Se o seu armazém tiver capacidade, mantenha estoque extra disponível agora, antecipando futuras interrupções. Há um custo para transportar e armazenar estoque extra. No entanto, este poderia ser um investimento sábio em tempos de crise. Se você é o único com estoque quando outras empresas estarão com prateleiras vazias, poderá se diferenciar e ajudar a população neste momento de crise.

 

 

Converse com seus clientes

 

Pode acontecer de os pedidos serem enviados com atraso. Nesse caso, um bom atendimento ao cliente é essencial. Diante da crise, seus clientes entenderão. A chave é se comunicar sobre atrasos e fornecer atualizações regulares.

 

Ainda que a sua operação sofra os impactos da pandemia da COVID-19, isso pode expor pontos fracos que devem ser sanados. Essa crise pode ser um momento para considerar maneiras de diversificar e reforçar suas operações. Isso pode protegê-lo contra futuros choques, que certamente virão. Enquanto as pandemias globais são raras, outros tipos de perturbações são cada vez mais comuns. Agora é um bom momento para criar um plano de resiliência para seus negócios.

 

Rheude finaliza salientando que “não há como proteger completamente sua empresa de todas as interrupções. No entanto, um bom planejamento e pensamento futuro podem colocá-lo em uma posição melhor para enfrentar o que vier a seguir. Todas as empresas enfrentam desafios. Os que prosperam são os que enfrentam esses desafios de frente”.



Deixe uma resposta