Drones na logística: como utilizá-los para beneficiar sua operação

dronesEles estão mais populares do que nunca e, se já revolucionaram as indústrias do entretenimento e audiovisual, agora se mostram uma grande promessa outros setores, incluindo a logística. Os drones, também chamados de UAVs (unmanned aerial vehicle / veículos aéreos não tripulados), têm chamado a atenção do setor de tecnologia para Supply Chain devido às suas várias possibilidades de uso nos centros de distribuição, algumas delas já aplicadas na prática e outras em desenvolvimento.

 

Uma das pioneiras a experimentar o drone na logística foi a Amazon. Em 2016, a gigante do mercado de e-commerce lançou o serviço chamado de Prime Air Amazon, destinado a entregas de produtos com peso de até 2,2 kg. O primeiro teste, realizado em dezembro daquele ano apresentou números impressionantes: o tempo entre a inserção do pedido no sistema e a entrega foi de apenas 13 minutos. O resultado foi tão promissor que a empresa já patenteou parte desse sistema.
 
 

Entregas de pedidos

 

As experiências com o drone para entregas continuam a pleno vapor, não apenas pela Amazon, mas também por outros grandes players. Na China, a JD.com também iniciou os testes em 2016, conseguindo entregar nas aldeias mais remotas e com uma velocidade impressionante.

 

Foi também no território chinês que a DHL, líder no transporte expresso internacional, e a EHang, líder mundial de veículos aéreos inteligentes, iniciaram as entregas com drone no ano passado, alcançando cerca de 80% de redução dos custos por envio e reduzindo o tempo de 40 para 8 minutos nos primeiros testes realizados. Nos Estados Unidos, a Wing, subsidiária da Alphabet, holding que controla o Google, vem desde o ano passado fortalecendo seu negócio de entregas através de drones, com um aumento significativo durante a pandemia.

 

No Brasil também temos exemplos de testes bem sucedidos com drones. Um dos mais recentes foi realizado pelo IFood, em Campinas (SP), após autorização recebida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), órgão responsável por liberar o uso de drones para fins profissionais. Durante o teste, o drone coletou o pedido em um “droneporte”, local mais alto de um shopping onde os funcionários levaram o pacote e, na sequencia, a aeronave portátil levou o pedido até um local onde o motoboy esperava para fazer a entrega até o cliente. Com o uso do drone, que deve ter início ainda neste mês, a equipe da startup espera economizar aproximadamente dez minutos por entrega.

 

Monitoramento dos processos intralogísticos

 

As empresas da cadeia de suprimentos estão começando a perceber o grande valor dos drones não apenas às áreas externas, mas – e principalmente – no interior dos armazéns. Esses veículos autônomos podem ser utilizados no monitoramento de toda a operação, incluindo rastreamento da entrada e saída de produtos, nível de ocupação de docas, movimentação de materiais, armazenagem, dentre outros processos intralogísticos. Isso é possível porque os drones possuem capacidade para navegação interna totalmente autônoma e para a leitura automática de códigos de barras, códigos QR, etiquetas alfanuméricas, etiquetas RFID, etc.

 

Com o uso do drone no monitoramento dos processos, a identificação de gargalos ou problemas torna-se rápida e mais eficaz, beneficiando, assim o desempenho da operação. Além disso, o aparelho localiza em tempo real a movimentação de paletes, empilhadeiras e pessoas, prevenindo acidentes ao emitir notificações para os colaboradores.

 

Realização de inventários

 

É também nas contagens de estoque que os drones têm mostrado seu grande potencial. De forma bastante rápida, eficiente e segura, esses aparelhos sobrevoam o estoque realizando a contagem dos produtos utilizando tecnologia de coleta de dados, integrada com softwares de geolocalização e sensores.

 

Ao percorrerem o armazém, os drones conseguem fazer a contagem via código de barras, RFID ou volume, gerando dados que são automaticamente cruzados com o sistema WMS. A contagem acontece de forma bastante rápida e com 100% de acerto e baixo custo de operação. E o mais interessante é que o drone é capaz de enviar imagens em tempo real do estoque, através de telemetria.

 

A utilização de drones nos inventários traz um alto retorno sobre o investimento devido à redução dos custos com mão de obra e equipamentos. Além disso, com o auxílio dos drones no inventário, as receitas aumentam devido à redução de rupturas do estoque. E tem mais: o uso do equipamento é bastante viável para áreas de difícil acesso, evitando os riscos de acidentes.

 

Segurança de cargas

 

Os drones podem ajudar, ainda, a garantir a segurança no transporte de cargas. Esses dispositivos auxiliam no mapeamento dos trajetos e condições da via, monitoramento da rota e sugestões de alteração de trajeto para a realização de entregas mais rápidas.

 

Outro uso é na segurança e vigilância dos depósitos – eles podem ser implantados para inspeção de telhados, pátios e terminais de armazéns.

 

Vantagens do uso dos drones na logística:

 

Os drones oferecem uma proposta de valor atraente para a cadeia de suprimentos, com impacto potencial na receita, nos resultados financeiros, na segurança dos funcionários e na satisfação do cliente. Dentre os seus benefícios principais estão:

• Maior flexibilidade
• Redução de custos da operação
• Diminuição dos tempos de entrega e alcance em áreas de difícil acesso
• Maior segurança
• Melhoria no serviço de Last Mile
• Disponibilização de dados de vídeo e imagem para decisões operacionais mais rápidas e automatizadas.

 

O que avaliar ao implantar um drone na operação

 

Antes de utilizar o drone em um armazém é importante analisar se a sua infraestrutura se adequa ao uso dos aparelhos. Por exemplo, se for utilizá-los para contagens cíclica, você deve utilizar paletes completos sem dupla posição, uma vez que o drone fotografa apenas paletes à vista.

 

Além disso, é preciso ter pessoas treinadas para operar os drones em caso de voo não autônomo. E também é importante ter todo o cuidado com a segurança dos funcionários durante o uso do drone, fazendo a utilização preferencialmente em locais com pouca ou nenhuma movimentação para reduzir os riscos.

 

Quanto ao uso para entregas, é crucial ter a autorização da ANAC.

 

E sobre o futuro?

 

A tecnologia para os drones não para de evoluir, com atualizações e melhorias constantes em seu sistema operacional. Hoje já temos aparelhos mais rápidos e eficientes, com maior tempo de autonomia de voo, sensores e câmeras mais modernos, sistemas anticolisão 360°, além de blindagem para evitar interferência. E a tendência é que cada vez mais eles sejam adotados na logística proporcionando uma verdadeira revolução nos processos internos e, principalmente, no last mile.

 

>> Quer conhecer outras automações da logística? Leia mais sobre pick-to-lightshuttleA-FrameAVGsvoice picking,  sorter pocket sorter.



Deixe uma resposta