Gestão de Pessoas: uma peça fundamental na administração intralogística

Por trás de cada processo logístico, existem pessoas responsáveis pelas decisões e pela execução de tarefas. Valorizá-las é o caminho do sucesso.

 

Em entrevista para o site The Loadstar, Radu Palamariu, Diretor Administrativo da Alcott Global, empresa de recrutamento em Supply Chain, proferiu uma frase forte: “Pessoas fazem ou quebram um negócio”. E ele não está errado. Ainda que se busque investir em tecnologia, em máquinas e robôs ou em infraestrutura adequada, sem uma boa Gestão de Pessoas, os planos de crescimento de uma empresa podem ruir, afinal, por detrás de cada processo logístico existe um profissional responsável pela sua condução. Por isso, capacitar e motivar os funcionários deve fazer parte de uma boa estratégia administrativa. A sua gestão já adota essa ideia?

 

 

Gestão de pessoas: uma necessidade

 

gestão de pessoasAtualmente, os gestores de logística se preocupam com uma série de fatores importantes para o aprimoramento da operação, como o melhor aproveitamento do espaço, o gerenciamento de processos por softwares específicos (como o WMS), a automação de tarefas com o uso de robôs, dentre outras iniciativas. Contudo, muitos deles se esquecem do componente que faz o elo entre todos os processos: seus funcionários. Contar com tecnologias é essencial para se manter competitivo, mas a sua implementação não significa necessariamente deixar os recursos humanos de lado. Pelo contrário: para aproveitar ao máximo as potencialidades de cada inovação, é preciso contar com profissionais cada vez mais aptos, competentes e engajados para a atuação em sua área.

 

Além disso, em se tratando da atividade logística, caracterizada por um ritmo intenso e acelerado, o investimento em Gestão de Pessoas é fundamental, pois os funcionários precisam estar prontos para tomar decisões ágeis e assertivas. E, nesse caso, não basta apenas realizar ações de capacitação – é preciso compartilhar informações, e, sobretudo, motivar. O funcionário precisa ter a estrutura adequada para realizar as suas tarefas e isso começa desde a limpeza e climatização do ambiente, passando pelo fornecimento de EPIs até o investimento em ferramentas e tecnologias que vão ajudá-lo em suas atividades.

 

Além disso, o gestor não pode deixar que o trabalho caia em modo automático. É preciso estar presente, ouvir as demandas de cada equipe, compartilhar os planos da empresa, valorizar cada profissional que faz parte do time. Isso é o grande diferencial.

 

 

Por que priorizar a Gestão de Pessoas na intralogística?

 

Valorizar os funcionários que atuam no armazém traz grandes ganhos em termos de desempenho. Pessoas capacitadas, bem informadas e motivadas desenvolvem suas funções de forma mais eficiente. Se os colaboradores conhecem os objetivos da empresa e entendem a sua importância para a operação como um todo, eles se esforçam mais para trazer os resultados esperados. Além disso, outros benefícios são:

 

▪ Fortalecimento da cultura organizacional

▪ Elevação da qualidade e padronização de processos

▪ Redução de erros e dos índices de acidentes de trabalho

▪ Redução de retrabalhos

▪ Aumento da produtividade (ao aproveitar bem os potenciais de cada um, direcionando-os corretamente para cada tarefa)

▪ Retenção de talentos

 

Vale acrescentar que, ao priorizar a Gestão de Pessoas no armazém, fica mais fácil identificar lacunas, como por exemplo, a necessidade de treinamentos. Ouvir os funcionários e perceber suas demandas torna a correção de falhas mais ágil e assertiva. Muitas vezes, quem trabalha diretamente no processo tem uma visão mais clara sobre melhorias e ajustes que podem ser feitos, por isso, é importante valorizar cada profissional que trabalha na operação, fazendo-o reconhecer o seu papel decisivo para o negócio.

 

 

Informação: um bem precioso que deve ser compartilhado

 

O funcionário precisa compreender bem a sua importância para a empresa, buscando formas de dar o seu melhor para que os resultados sejam alcançados. Para que isso aconteça, um bom começo é mapear bem os processos e repassar as informações às equipes. Isso precisa ser feito com frequência, pois em caso de alta rotatividade, em pouco tempo pode ser estabelecido um ambiente de dúvidas e desinformação, o que prejudica significativamente a boa execução dos trabalhos.

 

Compartilhar e avaliar as informações, seja através de uma Gestão à Vista ou em reuniões diárias, auxilia os funcionários no entendimento de sua função em relação à operação como um todo, incentivando também a autoavaliação. Se um dashboard colocado à vista de todos mostra, por exemplo, que está havendo atraso na separação de um pedido e que, por causa desse atraso, há uma carga parada na expedição, a equipe de picking logo vai agir para não prejudicar o atendimento aos prazos de entrega, e assim por diante… Ou seja, o compartilhamento dos indicadores em tempo real auxilia o autogerenciamento dos operadores.

 

Por outro lado, se os KPIs mostram que as metas estão sendo atingidas e o gestor elogia a equipe durante uma reunião, os funcionários se mantêm motivados e seguem dando o seu melhor para trazer os resultados.

 

Trata-se, portando, de alinhar os objetivos da empresa aos objetivos profissionais de cada um.

 

 

Capacitar também é valorizar

 

Contar com um trabalho forte de RH, focado em ações de capacitação, é uma forma de valorizar seus funcionários, pois eles percebem que a empresa está preocupada com o seu crescimento. Isso é essencial para reter talentos e formar um time forte e focado. Além disso, a capacitação é um importante estímulo para que o profissional continue evoluindo e buscando novos aprendizados, mantendo-se atualizado.

 

Para tanto, é importante que o gestor conheça bem cada membro de sua equipe e busque formas de desenvolvê-lo, mostrando para o funcionário o quanto suas competências colaboram para o sucesso da empresa. Nesse caso, o resultado não pode ser outro: qualidade e excelência. Treinamentos e ações de capacitação trazem eficiência produtiva, padronização de processos, fomento à cultura organizacional, dentre outros benefícios diretos e indiretos.

mobile - Whitepaper

Você conhece seus funcionários?

 

Como você irá organizar os processos se não sabe como aproveitar o melhor de cada funcionário? É essencial conhecer não apenas as potencialidades de cada funcionário, como também as suas fraquezas. Assim, é possível organizar as tarefas aproveitando o melhor de cada um.

 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Coaching, existem algumas estratégias para identificar os pontos fortes dos funcionários, tais como:

 

Observação (faça uma observação analítica das características e comportamentos do funcionário, percebendo as competências que atendem às necessidades da empresa e as tarefas que são desempenhadas com mais envolvimento e engajamento)

 

Novos projetos (proponha ao funcionário novos projetos e desafios e veja como ele está se saindo)

 

Autoavaliação (peça ao funcionário que escreva em um papel seus pontos fortes e os que precisam ser melhorados, bem como sua avaliação da empresa, da liderança, do ambiente de trabalho, etc. Receber esse feedback é fundamental para definir as ações de desenvolvimento de pessoas)

 

▪ Conversa (esteja sempre próximo de seus funcionários e aberto ao diálogo, buscando saber mais sobre a sua rotina e opinião sobre determinados assuntos)

 

Lembrando que um bom gestor dá sempre o feedback ao funcionário quando as coisas não vão bem, mas sobretudo quanto às suas atitudes positivas e seus pontos fortes. Isso pode ser feito verbalmente, com elogios em reuniões ou conversas individuais, como também através de bonificações, prêmios, oferta de cursos de especialização, dentre outras iniciativas. O importante é que o profissional se sinta parte do sucesso alcançado na empresa.

 

Quanto aos casos de funcionários que não estão apresentando um desempenho favorável, é importante também apresentar feedbacks e definir um limite de retornos para a sua substituição.

 

 

Motivação: equipe trabalhando mais e melhor

 

A ideia de que somente um bom salário mantém o funcionário na empresa já caiu por terra faz tempo. Hoje sabe-se que, para equipe logísticaalcançar produtividade, é preciso que os trabalhadores estejam bem, satisfeitos com a função que executam e também com o clima da empresa. O ambiente de trabalho precisa ser saudável e acolhedor, um lugar que as pessoas gostem de estar. E, claro, reforçando o que já foi dito antes, o funcionário precisa se sentir valorizado, parte importante dos resultados alcançados pela empresa.

 

A motivação é o que gera efetivamente a produtividade. Pessoas motivadas trabalham mais e melhor. Elas se sentem felizes ao trazer os resultados desejados, ao cumprir suas metas. Aqui também vale a dica de reconhecer as atitudes positivas e realizar ações de integração.

 

Na atividade logística, onde a velocidade e a assertividade fazem toda a diferença, motivar é a chave do sucesso. E, para que sejam cumpridos os prazos e as metas, os profissionais precisam não apenas de capacitação, como de satisfação e vontade de crescer. Para atingir o sucesso desejado, lembre-se: investir na Gestão de Pessoas é investir na sua empresa!

 

Para saber como reduzir o turnover na sua operação, clique aqui.



Deixe uma resposta